Ah, museus...

Assim como igrejas são templos da fé, museus são templos do conhecimento.
Para muitas pessoas, são passeios chatos. Trata-se de um pré-julgamento – embora, reconheço, seja necessária uma boa dose de disposição para ir a um lugar desses. Disposição física e emocional. É preciso estar disposto a vivenciar experiências, do contrário o museu será nada além do que... um museu.
Para tantas outras pessoas, museus são meros pontos turísticos. Logo, vai-se ao Louvre porque lá está a famosa Monalisa, do mestre Leonardo Da Vinci. É quase como cumprir um dever – o tal “estive lá”. Passam pelo museu como se estivessem em um estádio de futebol.
Para algumas pessoas, porém, os museus têm alma. Vão muito além de quadros e objetos. São verdadeiras experiências – cujas sensações são quase indescritíveis. Pretendo a qualquer hora escrever sobre isto. Desta vez, porém, prefiro fazer a minha lista de museus. Iria colocá-la no espaço “minha lista de...”, mas lá não caberiam comentários. Então, aí vão (sem qualquer ordem de importância):

1) Casa do Emigrante (Auswanderhaus) – Bremerhaven (Alemanha) – um museu novo, em formato de navio, que conta a história das pessoas que emigraram para a América no século 19. Moderno, diferente, sensacional. O visitante é levado a tornar-se um emigrante.
2) Museu da Língua Portuguesa – São Paulo, SP – diferente, como não podia deixar de ser. Afinal, como contar a história de uma língua? É preciso muita criatividade – e este lugar tem de sobra. Basta dizer que o visitante é levado a “sentir” – isto mesmo – a língua portuguesa. A sala dos poemas é simplesmente fenomenal!
3) MoMa (Museu de Arte Moderna) – Nova York (EUA) – Você pode visitá-lo (como um espectador) ou senti-lo (que tal interagir com as obras, ainda que isto se dê no seu íntimo apenas?). Encontrar a versão de Andy Warhol sobre Marilyn Monroe e “O tocador de Alaúde” pintado por Joan Miro foi particularmente emocionante. Ah, visitar este lugar com um amigo entusiasmado é ainda melhor.
4) Museu de História Natural – Nova York (EUA) – Conhecer este lugar era um sonho. Por um único motivo: o T-rex. Sim, é possível com um pouco de esforço imaginar-se alguns milhões de anos atrás correndo de um tiranossauro, cujos dentes afiados e ameaçadores estão apenas alguns palmos à frente. E tem muito mais!
5) Museu da Aviação – Washington, D.C. (EUA) – Confesso que imaginava ver muito mais daqueles caças F-qualquer coisa que a Força Aérea americana desfila por aí. Ainda assim, é um lugar diferente, que conta um pouco da história da aviação e da conquista do espaço (a parte espacial é, sem dúvida, a mais atraente).

PS: Há muitos outros interessantes que merecem estar nesta lista, caso do Metropolitan (Nova York) e de alguns palácios que se constituem em verdadeiros museus. Busquei, porém, fazer uma seleção de estilos diferentes. Haverá oportunidade para comentar sobre os demais. O importante é saber que - parafraseando o grande Fernando Pessoa - todo museu vale a pena se a alma não é pequena.

3 comentários:

Anônimo disse...

Gostei das dicas, são bem atraentes! Principalmente para quem gosta, como eu. Eu particularmente, adoro saber, escutar e vivênciar ( quando posso, é claro! ) a história, a cultura e experiências vividas pelas pessoas...
Tá muito legal seu blog! Estou gostando muito!
Bj

Rodrigo Piscitelli disse...

Embora não saiba quem fez a postagem, agradeço. Ah, e continue "viajando" por aqui sempre que puder. Abs.

Cris disse...

Piscitas, realmente o museu causa em muita gente um pré-conceito. Existe uma aura de museus serem lugarem velhos, cheios de coisas velhas e de pessoas mais velhas ainda. Mentira. Na minha opinião, existem poucos lugares onde podemos soltar a imaginação e nos sentirmos lado a lado com personalidades, animais, heróis, etc. Cazuza já dizia que "via uma museu de grandes novidades"... É isso mesmo! Podemos encontrar coisas tão diferentes em museus que podem ser consideradas as coisas mais nova que conhecemos!!! Se me permite gostaria de sugerir a visita ao Museu Imperial de Petrópolis e ao MASP.