L.A., um sonho californiano

Talvez em nenhum outro lugar do mundo um turista experimente tanto a sensação de estar literalmente num cenário de filme quanto em Los Angeles. Não que a cidade esteja tão na dianteira das locações cinematográficas históricas (Nova York não fica para trás, por exemplo), mas não resta dúvida de que o clima na segunda maior cidade norte-americana, a maior da costa do Pacífico, ajuda a reforçar a tal sensação. E não é à toa. Los Angeles é a capital mundial do cinema, é a sede dos grandes estúdios dos EUA.Uma série de fatores, históricos e geográficos, fez de L.A. uma cidade marcada pela diversidade. Sua própria topografia indica isso, já que é na verdade um conjunto de bairros ou cidades, formando um condado. Lá, latinos, chineses, japoneses, italianos e, claro, norte-americanos se misturam como em poucos lugares (talvez Nova York e São Paulo...).É difícil imaginar alguém que nunca tenha ouvido falar em Hollywood, Beverly Hills (e suas patricinhas), Melrose ou Santa Monica (assim, sem acento). As séries americanas exploraram - e exploram - à exaustão esses cenários.Por ser a meca do cinema (ou seja, a casa de astros e estrelas), L.A. se tornou uma cidade relativamente cara. Por ter uma topografia tão dispersa, a locomoção tende a ser mais difícil (o trânsito é intenso em suas ruas, avenidas e highways). Estes obstáculos, porém, estão longe de ser impeditivos aos turistas. Ao contrário, os atraem. Los Angeles, o luxo e o lixo convivem em certa harmonia.

No Brasil, L.A. – ou mais precisamente a Califórnia – foi muito cantada como a terra do lazer e do prazer. “A place to have fun”. “Garota eu vou pra Califórnia, viver a vida sobre as ondas...”. O sonho californiano, porém, exige esforços (são muitos os brasileiros vivendo na região, trabalhando duro para ganhar os dólares cada vez mais desvalorizados). A cidade está em crise, o Estado está falido (o rombo é tão grande que o governador Arnold Schwarzenegger - sim, o “exterminador do futuro”, aquele mesmo do “Hasta la vista, baby!” - colocou à venda várias prédios públicos, como um estádio e uma cadeia, para tentar minimizar o problema).Problemas financeiros à parte, o certo é que L.A. merece uma visita. Por mais que muitos de seus pontos turísticos mais se pareçam com cenários (a tal Calçada da Fama é coisa para inglês ver), a cidade vai muito além do cinema - embora, não tem jeito, respire cinema. Por isso, uma vez em Los Angeles, vá a todos os lugares que todos os turistas devem ir (a Calçada da Fama, o Teatro Chinês, o Kodak Theatre, a Rodeo Drive, a Hollywood Boulevard, etc). E não se esqueça de que muito além desses lugares, há uma cidade viva (não cenográfica) esperando por você.

PS: para mais informações sobre L.A., clique aqui.

Nenhum comentário: