Uma singela casa branca

The White House, a Casa Branca, é o ponto nevrálgico do poder nos Estados Unidos. De certo modo, pela influência que o país exerce, não seria exagero considerá-la o centro do poder no mundo. A casa do presidente da maior potência mundial é uma das atrações de uma cidade que gravita em torno do poder.
Ainda que seja apenas mais uma das atrações em Washington D.C., espera-se que a mais poderosa casa norte-americana (ou a casa do mais poderoso norte-americano, ainda que seu morador seja sempre temporário – viva a democracia!) exiba uma grandiosidade condizente com seu significado. Por isso, qualquer pessoa que vá à capital dos EUA espera encontrar uma grande edificação.
Foi com essa ideia que descemos – dois amigos e eu - a Connecticut Avenue. Eufóricos, disputávamos quem primeiramente avistaria a famosa casa. A proximidade da sede do poder Executivo nacional fez acelerar o pulso e acirrou a disputa. Até que alguém, talvez eu, disparou emocionado: “Ali, aquela deve ser a Casa Branca!”. A construção era até grandiosa, mas um detalhe chamava a atenção: aquela suposta “Casa Branca” era, na verdade, cinza. Gelo, talvez. Branca, não. Definitivamente!
Por alguns instantes, pairou a dúvida: seria “White” só um nome, como a Casa Rosada em Buenos Aires, sede do governo argentino, que não tem nada de rosa...? Uma dose extra de racionalidade acrescentou outra dúvida à nossa emotiva visão: a arquitetura do prédio não era exatamente aquela que nos acostumamos a ver pela TV.
Carregando mais dúvidas que certezas, decidimos seguir em frente à procura de, quem sabe, a verdadeira Casa Branca. Não sem antes, claro, registrar a nossa suposta “Casa Branca” em fotos. Estávamos na esquina da 17th. Street NW com a Pennsylvania Avenue.


Avançamos um quarteirão até o National Mall (na verdade a Constitution Avenue), a principal via do poder na capital do poder. Bastaram alguns metros adiante e uma virada à esquerda para que uma edificação bastante conhecida finalmente surgisse. De imediato, reconhecemos aquela singela casa: The White House, a Casa Branca. O centro do poder norte-americano estava ali, imponente... Imponente? Foi impossível não conter a decepção. “Aquilo ali é a Casa Branca?”, manifestamos todos, em conjunto, nosso espanto. Sim, com um certo desdém.
Colocando as ideias de modo mais racional, não que a sede do Executivo dos EUA seja, digamos, pequena ou modesta. Não é. É grande e até relativamente bela (clássica demais, mas interessante). Contudo, numa cidade que respira poder, na via que liga monumentos que contam a história da nação mais poderosa do mundo ao imponente – este sim – prédio do Congresso, a Casa Branca fica em segundo plano. Incompatível com o poder que emana.
Vista de longe, das grades que separam o imenso jardim da rua onde turistas de todo o mundo aglomeram-se em busca de fotos, a morada do presidente dos EUA parece ainda menor. Ali, em frente daquela “casa pequena demais para o poder que esconde”, o amontoado de gente, a vigilância contida de uns poucos guardas dão por alguns instantes a sensação de que estamos diante de um imóvel qualquer. Qualquer coisa que não a Casa Branca, The White House.
Até que uma outra dose de racionalidade recoloca a emoção em seu devido lugar. Finalmente, lembramos que estamos simplesmente diante da sede do poder Executivo dos EUA. A mais poderosa casa norte-americana (ou a casa do mais poderoso norte-americano, ainda que seu morador seja sempre temporário – e viva mais uma vez a democracia!).



Em tempo: ainda que estivéssemos em frente à “mais poderosa casa...” (e o resto já escrevi duas vezes), a presença de um singelo esquilo no jardim do lado externo devolveu-nos a ilusão de que aquela era simplesmente mais uma casa numa cidade qualquer. Qualquer coisa que não Washington D.C.
Até que, mais uma vez, outra dose de racionalidade reanimou a emoção: “Olha, um esquilo em frente à Casa Branca! Pode ser o esquilo do presidente dos Estados Unidos!”. E disparei o flash...


PS: para quem chegou até aqui e segue em dúvida sobre a tal “Casa Branca” cinza do início da postagem, uma olhada mais atenta ao mapa da capital dos EUA indicou que na esquina da 17th. Street NW com a Pennsylvania Avenue fica o Eisenhower Executive Office Building. Bem, podia ser “a mais poderosa casa...”

* A imagem do que pensamos ser a Casa Branca foi retirada do Google Street View porque na minha foto há outras pessoas e não as consultei sobre a exibição aqui neste blog.

Nenhum comentário: