Uma aventura pelo deserto peruano

O deserto ocupa parte do território peruano. Na areia seca, civilizações deixaram marcas profundas, que despertam a atenção de curiosos, místicos e estudiosos do mundo todo. Mas ele também é sinônimo de aventura. Você já imaginou jantar no deserto sob a luz da lua?
Para chegar ao deserto, pegamos a estrada rumo ao sul a partir da capital Lima. Duzentos e cinquenta quilômetros em direção a Paracas, no departamento de Ica. No meio do caminho, o clima desértico já domina a paisagem. A rodovia rasga a areia seca como uma veia. Dos dois lados, planície e montanhas. De vez em quando surgem e alguns arbustos e vilarejos.









 


Na beira do mar, Paracas é uma cidade simples, como muitas no interior do Peru. Tem ruas de terra e casas sem acabamento. A pesca e o turismo são as bases da economia. Paracas é o ponto de parada de muitos aventureiros. A cidade pode ser considerada uma das portas do deserto. Um dos mais secos do mundo.
Mas para conhecer mesmo o deserto é preciso enfrentá-lo. No entardecer, nossa equipe deixou o asfalto e partiu areia adentro para uma verdadeira aventura. No meio do caminho é preciso parar o carro para mexer nos pneus. “Tem que baixar a pressão dos pneus para que eles tenham um maior espaço de contato e maior tempo de contato com o terreno e isto significa maior tração e menor probabilidade de ficar atolado na areia e poder continuar”, explica o piloto e guia Jesús López. “O que sente cada vez que vem aqui?”, pergunto. “O deserto é uma paixão para nós que dirigimos 4 x 4”, diz.
E o entardecer proporciona um cenário simplesmente espetacular!




A noite cai e seguimos entre subidas e descidas pelas dunas. À frente, apenas os feixes de luz do farol do carro iluminam o trajeto. É para quem gosta mesmo de aventura. Até que surgem alguns pontinhos de luz abaixo. E é para lá que nós vamos.
Eram quase sete horas da noite, no meio do deserto, a única coisa a iluminar o cenário, além do carro, era a luz da lua. E depois de descer uma duna de quase 50 metros, chegamos a um ambiente preparado para um jantar, no meio da areia do deserto. E para começar, a recepção é com champanhe. Bem-vindo ao deserto de Ica!





No meio do deserto, a escuridão é quase total. E o silêncio é quase absoluto. Mas o deserto guarda outras surpresas...

* Texto originalmente feito para o programa "Matéria de Capa" (TV Cultura, dom., 19h30)

Nenhum comentário: