Na Suíça, o trem é parte do dia a dia

Quando se fala em passear na Suíça, uma das marcas do país é justamente seu sistema ferroviário. Eficiente, confortável e, claro, pontual - outra característica local. Na charmosa estação central de trem em Zurique, a maior cidade suíça, um grupo de estudantes dá as boas-vindas: “Brasil!!!”.







São 350 milhões de passageiros por ano, 45 vezes mais que a população do país.  Também pudera: na pequenina Suíça, cinco mil dos 26.114 quilômetros da rede de transporte público é formada por trilhos ferroviários. A cada dez minutos, um trem liga o centro de Zurique ao principal aeroporto do país.
Por trem, há conexões diretas com dez países ao redor da Suíça. Em quatro horas, é possível ir até Paris, na França. Os suíços viajam mais de trem do que qualquer outro povo no mundo. Em média, cada cidadão percorre 2.103 quilômetros por ano - 127 quilômetros a mais que os japoneses, os segundos colocados.







Trens chegam e saem a todo momento. Na Suíça, trânsito mesmo é nos trilhos. O sistema ferroviário é tão importante que uma série de serviços são oferecidos para facilitar o dia a dia dos moradores e visitantes. Vagões confortáveis, que incluem uma área com recreação para as crianças. Janelas panorâmicas para apreciar a paisagem - cenários encantadores que surgem a todo momento. Planícies e vales verdejantes, montanhas mágicas, lagos com água cristalina, vilarejos e cidades vibrantes.


Com um passe especial, o Swiss Pass, é possível usar por três dias até um mês toda a rede de transporte público do país, como os bondes, ônibus e barcos, além do trem. Se o passageiro quiser, pode despachar a mala diretamente para o destino, mesmo que vá ficar todo o dia numa cidade ou visitar outros lugares. É só fazer o despacho rápido em uma das mais de 40 estações onde o serviço é oferecido. O sistema vale até para quem vai pegar um avião com a companhia aérea local - a Swiss Air. Nós, por exemplo, despachamos a bagagem diretamente da estação de trem em Lucerna para São Paulo, economizando tempo no aeroporto.
A chefe do serviço de bagagem da empresa ferroviária, Charlotte Humbert, diz que outro serviço bastante usado pelos passageiros - principalmente turistas - é o depósito de bagagens nas estações. Bolsas e malas podem ficar guardadas com segurança por até 96 horas. Enquanto isso, a pessoa pode passear.
Depois, para não perder o trem, a tecnologia dá uma ajudinha. Um aplicativo para celular informa todos os horários e a lotação de cada viagem. Quanto mais homenzinhos aparecem na tela, mais cheio o trem está. Comodidade na palma da mão. E é bom ficar mesmo atento aos horários. Pontualidade é como lei na Suíça. Isto fica muito evidente no sistema de transporte público. Por isso, quem for até lá deve ficar atento: se o trem estiver marcado para sair às 17h01 ele vai sair exatamente às 17h01.
O diretor de marketing da Swiss Travel System, a empresa responsável pelo Swiss Pass, Andreas Nef, ressalta que o transporte público é muito importante para os suíços. “A cada dia são mais de um milhão de usuários, é uma das ferramentas primordiais no país”, diz. E quando eu pergunto se ele se sente orgulhoso de trabalhar na STS, Andreas não economiza elogios ao sistema. “Com certeza sou muito orgulhoso. O transporte público suíço é seguro, pontual e limpo”.
Como dizem por lá, há sempre um trem onde você precisar.

* Texto original de reportagem feita para o programa "Matéria de Capa" (TV Cultura, dom., 19h30)

Nenhum comentário: